Pesquisar neste blog

sábado, 21 de setembro de 2013

Lucas e o Rei Pelé - Quando o Pelezinho fez parte do Fala Menino!



Em 2006, recebi um telefonema de São Paulo. Era do povo que administrava a marca e a imagem do Rei do Futebol, dele mesmo, do Pelé. E eles diziam do outro lado ( e eu mudo, feito o Lucas, do lado de cá) que estavam buscando recriar o Pelezinho. Sucesso indiscutível (e maravilhosamente apaixonante) do Maurício de Sousa entre o final dos anos 70 e meados da década seguinte. Sim, pra meu espanto, eles queriam que eu contribuísse com uma proposta de uma nova imagem para o mascote do rei que, sendo aprovada (outros artistas foram convidados, também), deveria ser utilizada em - pra começar - uma nova série de desenhos animados produzida no exterior. Uma produtora americana estava interessada em um show inspirado no Rei e Pelé (e sua equipe) queriam levar um layout nacional já pronto.

Claro que eu gelei. Ao mesmo tempo excitadíssimo e assustado (tecnicamente alguém assustado está excitado, mas vocês entendem o que eu quero dizer).

Voltei para a prancheta. Lápis, papéis (muitos papéis) e o desafio de propor algo novo que poderia, mais do que fazer meu traço girar o mundo mais rápido do que uma bomba do Rei naqueles pênaltis indefensáveis, ficar no lugar de uma das criações do Maurício que eu mais amava... Que muita gente, com razão, ainda hoje traz no coração. Era responsabilidade demais!

Vasculhei fotos do homem por todo lado. Livros, revistas, páginas na Internet. Notei que havia algo na imagem do Pelé que é quase tão marcante quanto seu talento com a redonda e que não havia ainda sido tão explorado nas suas versões infantis... O seu sorrisão! Aberto, gargalhante, cheio de dentes! E seu sorriso se tornou meu foco, se eu conseguisse me aproximar dele, estaria satisfeito!



Finalmente, pronta, mandei minha proposta sem esperar tanto que fosse escolhida... E não é que foi?!!!

Começaram os movimentos, viagens do povo pra lá e pra cá. E a turma aqui, na torcida...

Mais tarde, soube que o projeto havia sido abortado por razões da produtora americana que o estava contratando. Eles queriam uma série de ação, com um Pelé mais velho inspirando uma turma adolescente (que acabou nem saindo do papel). E o meu Pelezinho entrou no gramado, mas nem jogou. Ficando apenas esta história e, agora aqui pela primeira vez, o registro dela e minha homenagem ao maior camisa 10 que já defendeu a seleção!

Longa vida ao Rei!!! :)


Postar um comentário